Reajuste de aluguel: entenda quando e como ocorre a correção

Na hora de começar a busca por um imóvel para alugar, uma das maiores preocupações tem relação com o valor a pagar mês a mês. No entanto, também é preciso se atentar à quantia desembolsada no futuro, quando ocorrer o reajuste de aluguel. O reajuste de aluguel é uma medida prevista pela Lei do Inquilinato, […]

reajuste de aluguel

Na hora de começar a busca por um imóvel para alugar, uma das maiores preocupações tem relação com o valor a pagar mês a mês. No entanto, também é preciso se atentar à quantia desembolsada no futuro, quando ocorrer o reajuste de aluguel.

O reajuste de aluguel é uma medida prevista pela Lei do Inquilinato, uma norma que dispõe sobre as regras para contratos de locação firmados em todo o país. O objetivo da medida é corrigir o valor pago no aluguel para corresponder aos índices atuais de mercado.

Se você tem dúvidas sobre como funciona o reajuste de aluguel, quando ele acontece e quais são os índices utilizados, neste post, confira tudo o que você precisa saber antes de assinar seu próximo contrato de locação.

Como funciona o reajuste de aluguel?

Para começar, vamos explicar como funciona reajuste de aluguel. Essa é uma medida realizada sempre no aniversário do contrato de locação. Portanto, 12 meses após o início, seu contrato terá o valor reajustado para ficar de acordo com os índices do mercado.

Essa correção é importante para o proprietário não sair perdendo ao alugar a casa ou o apartamento por valores menores que aqueles praticados no mercado ou, ainda, regulados abaixo da inflação.

Como se calcula o reajuste de aluguel?

reajuste de aluguel

Para o valor do aluguel se manter de acordo com os indicadores econômicos do país, o reajuste ocorre sempre conforme um índice de inflação. Os dois principais são o IGPM e o IPCA.

Esse cálculo de reajuste de aluguel acontece sempre da seguinte forma: multiplica-se o valor pago mensalmente pela porcentagem representada no índice de reajuste determinado no contrato de locação. Abaixo, entenda melhor como funcionam esses índices e qual costuma ser mais utilizado para a correção do valor.

O que é IGPM?

O IGPM também é conhecido como Índice Geral de Preços do Mercado. O valor é divulgado mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e calculado com base em outras três taxas: Índice de Preços por Atacado (IPA), Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e Índice Nacional do Custo da Construção (INCC).

Tradicionalmente, ele é o indexador mais utilizado para o reajuste de aluguel no país. No entanto, por ser um indicador bastante sensível à variação do câmbio, a utilização pode se tornar prejudicial ao inquilino, em casos de alta do dólar, ou mesmo ao locatário, quando o valor da moeda cai radicalmente.

O que é IPCA?

IPCA, como já adiantamos, é a sigla para Índice de Preços ao Consumidor Amplo. Calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse indicador considera o custo de vida das famílias e serve como base para a definição da meta de inflação pelo Banco Central.

Em razão da recente volatilidade do IGPM, muitos proprietários têm aderido ao uso do IPCA como índice de reajuste de aluguel, já que os valores dele têm se mantido dentro de uma média esperada para as correções anuais do valor pago pelos inquilinos.

Negociação entre inquilino e proprietário

Independentemente do índice previsto no contrato de locação para o reajuste de aluguel, sempre é possível tentar a negociação do novo valor pago mensalmente com o proprietário do imóvel, seja de forma direta, seja por intermediação da imobiliária responsável.

Em tempos de crise econômica e desemprego, especialmente, é totalmente compreensível que o inquilino tenha dificuldades para arcar com um aluguel muito mais caro do que aquele que está acostumado a pagar.

Nesses casos, conversar com o proprietário para chegar a uma melhor solução para ambos os lados é a melhor saída. Afinal, assim como o inquilino não gostaria de sofrer um desequilíbrio financeiro, o proprietário não deseja perder um locatário e, com isso, a renda vinda da locação do imóvel.

Planejamento é sempre a melhor opção

Para não sofrer com um aumento agressivo do valor pago todo mês, a melhor saída é saber como calcular reajuste de aluguel, atentar-se às correções previstas no contrato firmado e, com isso, planejar-se para quando esse momento chegar.

Identifique, na documentação assinada, qual é o índice determinado para o reajuste após 12 meses de locação. Com isso, fique de olho nos números que são divulgados mensalmente, seja pela FGV (no caso do IGPM), seja pelo IBGE (no caso do IPCA).

Apesar de esses dados mudarem mês a mês, é possível ter uma noção do valor para o qual seu aluguel será reajustado no momento do aniversário de contrato. Com esses valores em mente, você consegue planejar as contas de casa e, é claro, iniciar uma possível negociação com o proprietário a tempo.

Proprietário também deve ficar atento

Se você está do outro lado, ou seja, é proprietário de um imóvel e deseja disponibilizá-lo para locação, também é preciso atentar-se e entender como fazer reajuste de aluguel antes de firmar seu contrato.

Considere sempre utilizar a ajuda de bons profissionais para elaborar a documentação da melhor forma, trazendo segurança a você e ao futuro inquilino. Depois, é claro, conte com o ZAP Imóveis para anunciar seu imóvel na maior plataforma do país e encontrar um locatário de forma rápida.

Aluguel é no ZAP Imóveis

Agora que você já entende como funciona o reajuste de aluguel, utilize a plataforma do ZAP Imóveis para encontrar sua nova moradia! Temos um grande portfólio de casas e apartamentos para locação prontos para você conhecer e se apaixonar. Conte conosco e entre em contato caso haja qualquer dúvida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais vistos

Mais lidas