Aluguel em SP tem menor alta em seis meses

Os contratos de aluguel residencial assinados em setembro registraram um leve aumento de 0,2% em relação aos valores fechados em agosto

Os contratos de aluguel residencial assinados em setembro em São Paulo registraram um aumento de 0,2% em relação aos valores fechados em agosto, conforme pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação de São Paulo).

Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Clique aqui e cadastre-se

A alta no nono mês do ano, porém, demonstrou uma desaceleração dos aluguéis praticados na capital paulista no período. O aumento foi a menor registrada nos últimos seis meses, quando aconteceu a variação de 0,1% em março ante fevereiro. Com isso, o aumento em setembro foi o segundo menor anotado em 2013.

Os imóveis que tiveram maiores reajustes de aluguel em setembro foram os de dois dormitórios, com alta de 0,3% (Foto: Banco de Imagens / Think Stock)

O recuo nos preços também foi notado na comparação com agosto, quando os valores de locação residencial subiram 1,7% sobre julho.

Já nos últimos 12 meses encerrados em setembro, os preços dos novos contratos de aluguel atingiram alta de 9,91%, resultado muito superior ao da inflação registrada no mesmo intervalo (setembro de 2012 a setembro de 2013).

O IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), que é o índice mais utilizado como base para o reajuste anual dos contratos em vigor, foi de 4,4%. O patamar também é o maior registrado em 2013 e mostra que o aluguel ganhou força ao longo do ano, após registrar 7,75% em janeiro.

“A variação mensal dos contratos negociados tem oscilado mensalmente, mas observa-se equilíbrio na faixa entre 9% e 10% nos últimos meses, superior ao comportamento do IGP-M, mas com tendência de estabilização”, afirmou Mark Turnbull, diretor da vice-presidência de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi, via nota.

Ainda segundo a pesquisa, as moradias que tiveram maiores elevações de preço em setembro foram as de dois dormitórios, que apresentaram acréscimos médios de 0,3%, enquanto as residências de três quartos tiveram aumento de 0,1%. Os imóveis de um dormitório ficaram com os preços estabilizados.

Em setembro, o fiador foi a garantia mais utilizada nos imóveis alugados, respondendo por quase metade dos contratos de locação residencial (48%). O segundo tipo mais demandado foi o depósito de até três meses de aluguel, utilizado por 32% dos inquilinos. O seguro-fiança foi usado em 20% dos imóveis alugados.

Confira a evolução dos reajustes dos aluguéis no ano:

jan/13 – 0,5%
fev/13 – 0,7%
mar/13 – 0,1%
abr/13 – 1,0%
mai/13 – 0,9%
jun/13 – 1,2%
jul/13 – 0,7%
ago/13 – 1,7%
set/13 – 0,2%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais vistos

Mais lidas