Vidro inteligente: entenda como funciona

Um vidro opaco, mas que fica transparente quando o morador quiser. Esse é o vidro inteligente, com sistema elétrico que o faz mudar de cor. Pode ser usado tanto em janelas e portas, como em divisórias de ambientes. Quando está no modo leitoso, ajuda a bloquear a luz (solar ou do outro ambiente), manter a […]

Um vidro opaco, mas que fica transparente quando o morador quiser. Esse é o vidro inteligente, com sistema elétrico que o faz mudar de cor. Pode ser usado tanto em janelas e portas, como em divisórias de ambientes. Quando está no modo leitoso, ajuda a bloquear a luz (solar ou do outro ambiente), manter a privacidade e incrementa a decoração, podendo servir de cinema, já que permite a projeção de imagens. 

Leia também

+ Embutir a lixeira da cozinha deixa o item discreto e higiênico

+ Veja qual a melhor maneira de usar bancos de madeira na casa

“O vidro inteligente é uma nova tecnologia que une duas folhas de vidro incolor com uma película de micro partículas elétricas entre elas. Essa película polarizada se altera entre esbranquiçada/leitosa para transparente quando ativada com corrente elétrica, que pode ser acionada em interruptor ou no próprio fechamento da porta”, explica o arquiteto e paisagista Cezar Scarpato.

O vidro inteligenda fica transparente, como na foto acima, ou leitoso, como na foto abaixo – Foto: PKO do Brasil

O CEO da Glasspedia, Wagner Domingues, diz que o elemento que fica entre as chapas de vidro é energizado diretamente na instalação elétrica da moradia. Quando está leitoso, mantém a privacidade do ambiente e pode ser utilizado como um telão. “Existem vários fornecedores no Brasil, com algumas variações de tecnologias empregadas para o mesmo fim”. 

Vidro inteligente pode dividir ambientes

Cezar Scarpato ressalta que o vidro inteligente tem a resistência do vidro temperado-laminado e tem sido muito usado em ambientes onde a transparência do vidro e a difusão de iluminação são muito importantes para dar visual mais leve e amplitude aos ambientes, além de conferir privacidade quando for preciso – sem a necessidade de persianas e cortinas. 

“Pode ser utilizado em ambientes com estética mais futurista e tecnológica, além de locais que buscam a integração entre ambientes e privacidade parcial, como um banheiro de vidro dentro da suíte, por exemplo. Ou para lofts e home office”, afirma o arquiteto. 

Segundo a arquiteta Fernanda Quintas, supervisora de Marketing e Especificação Técnica na PKO do Brasil, empresa fabricante do vidro inteligente Privacy Glass, entre as vantagens do produto estão o uso racional dos espaços, ambientes versáteis e tecnológicos, facilidade de limpeza, alta durabilidade e bloqueio de até 99,6% da radiação ultravioleta, reduzindo danos à pele, móveis e tecidos.

Fernanda explica que, no caso do vidro inteligente da PKO, a “mágica da transformação” acontece em função do processo produtivo, já que trata-se de uma laminação de dois vidros com um filme de LCD (cristal líquido) com polímeros dispersos. 

Exemplo de vidro inteligente leitoso – Foto: PKO do Brasil

“Quando uma voltagem (tensão elétrica) é aplicada, as moléculas se organizam em uma direção específica, tornando-o incolor. Isso permite a passagem de luz por meio do vidro. Quando o dispositivo é desligado, as moléculas voltam à sua condição original, tornando o vidro branco translúcido novamente”, detalha. 

Substituindo as cortinas

Em muitas situações o vidro inteligente pode substituir as cortinas, quando usado em janelas. É bom lembrar, porém, que ele não funciona como um blackout. No modo desligado, fica como um vidro jateado, sendo possível ver a penumbra e as formas. “Não é recomendado para aplicações em fachadas. Caso a pessoa tenha interesse, a sua aplicação deve ser estudada rigorosamente, de forma a atender às normas vigentes”, detalha Wagner Domingues.

Leia mais

+ Dicas de decoração para hall de entrada do apartamento

+ TikTok: como separar um espaço em casa para fazer as dancinhas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais vistos

Mais lidas