É permitido alugar um imóvel em nome de outra pessoa? Saiba tudo sobre contrato de aluguel

posso alugar um imovel em nome de outra pessoa - imagem de pessoa assinando documento de contrato de aluguel

No contrato de aluguel, algumas normas são estabelecidas, e há uma garantia que beneficia tanto o locatário quanto o locador. Porém, algumas dúvidas podem surgir, como: é permitido alugar um imóvel em nome de outra pessoa? É possível sublocar o imóvel? Como fazer um contrato em nome de mais de uma pessoa? Tire suas dúvidas sobre o assunto a seguir!

Posso alugar um imóvel em nome de outra pessoa?

Existem alguns casos em que é permitido alugar um imóvel em nome de outra pessoa, mas a prática exige muita atenção e cláusulas contratuais bem específicas. No geral, os contratos servem para garantir o direito de todos os envolvidos; por isso, é necessário estabelecer requisitos. 

Apesar de a prática de sublocação ser comum, nem sempre ela é permitida. Sublocar um imóvel é quando a pessoa que alugou o imóvel primeiramente passa a alugá-lo para uma terceira pessoa. O “novo morador” se torna, então, responsável pelas despesas da moradia e pela preservação do imóvel.

Quais são as regras para sublocação?

Esse tipo de “modalidade” de aluguel está regulamentada na Lei do Inquilinato, contudo é preciso que o locatário (dono do imóvel) esteja ciente e de acordo com a sublocação. Se ele não for informado, processos judiciais, multas e ações de despejo podem ser acionadas contra o locador e o sublocador.

Assim, quando você for assinar um contrato de locação, procure saber se a permissão dessa prática está ou não prevista no documento. Caso a possibilidade de sublocar o imóvel para terceiros não seja informada previamente, a prática é considerada ilegal.

Além disso, existem outras regras que devem ser respeitadas pelo locador e sublocador: valor do aluguel, tempo de vigência, finalidade do imóvel e outros pontos importantes que estão nas cláusulas do contrato.

Um ponto que merece destaque é em relação à preferência do locador em casos de o imóvel ficar disponível para venda. Nessa situação, o sublocatário tem preferência sobre o inquilino, que só tem disponibilidade à compra caso o sublocatário não tenha interesse.

E quando há mais de um inquilino?

Nos casos nos quais mais de uma pessoa vai usufruir do imóvel, como casais ou amigos que decidem dividir uma casa, é permitido alugar um imóvel em nome de outra pessoa, já que nem todos os locadores precisam, necessariamente, assinar o contrato.

Então, é possível fazer contrato de aluguel em nome de duas pessoas ou mais, tanto no caso dos proprietários quanto no caso dos interessados no imóvel. Embora não seja obrigatório, é importante que todos os locadores sejam reconhecidos como responsáveis por qualquer situação que possa vir a acontecer.

Se todos os inquilinos assinam o contrato e, futuramente, um deles deixa o imóvel, é preciso fazer o aditamento do contrato com os nomes de quem continuará usufruindo do imóvel. Mais uma vez, o contrato é a garantia de que os direitos dos donos dos proprietários e os direitos de quem aluga o imóvel serão respeitados.

Tipos de aluguel

posso alugar um imovel em nome de outra pessoa

Agora que você já sabe se é permitido alugar um imóvel em nome de outra pessoa, saiba um pouco mais sobre os tipos de garantia de aluguel e ao que você deve se atentar ao assinar um contrato com o proprietário.

Geralmente, o contrato de aluguel tem vigência de um ano e multa em caso de quebra do acordo (de ambas as partes) antes do tempo. Para isso, às vezes, algumas imobiliárias e locatários exigem a garantia de um fiador, isto é, alguém que comprove ter condições financeiras do inquilino, caso o aluguel esteja atrasado.

Para ser um fiador, é preciso ter um imóvel próprio quitado no Brasil sem nenhuma irregularidade — essa é a garantia do aluguel. Caso os pagamentos não sejam efetuados, o imóvel do fiador será penhorado. Portanto, é uma escolha que requer compromisso.

Outro modo comum é o cheque (ou depósito) caução com um valor estipulado, comumente equivalente a três meses de aluguel. Se houver alguma dívida, o proprietário descontará dessa “poupança”. No final do contrato, o valor é restituído ao inquilino com correção monetária e juros correspondentes ao período.  

O que deve ter no contrato?

O contrato de aluguel deve evidenciar alguns pontos obrigatórios e outros que são determinados pelo próprio dono do imóvel e/ou pela imobiliária. É preciso saber todos os requisitos antes de assinar o documento a fim de evitar qualquer quebra de contrato e, consequentemente, decisões jurídicas. Alguns itens obrigatórios são:

  • nome e profissão do locatário e locador (e fiador, se exigido); 
  • endereço e descrição do imóvel; 
  • valor do aluguel;
  • data de pagamento;
  • discriminação dos encargos (condomínio, luz, água, IPTU);
  • finalidade do imóvel (residencial ou comercial);
  • termo de vistoria;
  • multa rescisória.

É dever do locador entregar informações do imóvel antes da locação, entregá-lo em boas condições, responder por problemas anteriores à locação, pagar as taxas de documentos necessários, pagar por reformas do condomínio etc.

O inquilino também tem alguns deveres: pagar o aluguel dentro da data estipulada, pagar pelos encargos dentro do prazo, respeitar a finalidade do imóvel, não realizar mudanças internas no imóvel sem consentimento prévio, obedecer às regras do imóvel, entre outros pontos. 

O ZAP Imóveis ajuda a encontrar o seu imóvel!

Agora que você já tem todas as informações sobre contrato, além de se é permitido alugar um imóvel em nome de outra pessoa, o que é sublocação e outros detalhes, você pode começar a procurar imóveis disponíveis para aluguel e/ou compra!

No ZAP, você encontra diferentes tipos de imóveis, sejam eles residenciais ou comerciais, em diferentes cidades do país e com preços variados. Além disso, também é possível encontrar outras informações valiosas sobre como cuidar do seu imóvel e outros temas que podem ajudá-lo na sua jornada. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais vistos

Mais lidas